25.5 C
Brasília
25.5 C
Brasília
quarta-feira, julho 17, 2024
spot_img

De próprio punho, por Gabriel Mattar (cineasta): “A mensagem do doc ‘Irmãos por Escolha’, no mundo tão individualista de hoje, é uma só — ninguém faz nada sozinho”

Sempre fui apaixonado por cinema, mas me parecia algo inatingível! Quando eu tinha menos de 10 anos, na escola em que estudava, havia uma aula chamada Audiovisual; nela, as crianças gravavam suas histórias num gravador K7 e depois fotografavam as cenas. Eram então apresentadas num projetor de slides, e “sincronizadas” manualmente, com a gravação. Mesmo sendo um método rudimentar, a magia do cinema estava lá — já dava para ver o poder que essa forma de arte tem! Fiz parte de uma geração que foi privilegiada pela qualidade dos filmes que abrangiam o público infanto-juvenil. Assisti a toda a saga de “Indiana Jones”, os “Goonies”, os “Gremlins”, “E.T”, “De volta para o futuro”, “Amazing Stories”, dentre outros…

Sempre vi esses filmes com meu irmão Danilo, companheiro de todas as aventuras. Foi um choque para mim a sua morte aos 12 anos. Ficou um grande vazio na minha vida, que fui preenchendo com amigos, meus irmãos por escolha. Me formei em Design, mas a paixão pelo cinema foi mais forte, e acabei chegando a ele. Em 2007, criei a Kombat Films, que realizou muitos filmes para publicidade, sempre caracterizados por uma abordagem lúdica.

Em 2013, meu primo e irmão por escolha, Leonardo Carvalho, me apresentou a Academia Militar das Agulhas Negras. Ele também perdeu seu irmão na infância; nós éramos quatro primos e ficamos só nós dois. Leo se tornou ator e, para interpretar um militar, fez um laboratório na academia. Ele me ligou de lá, emocionado, falando da camaradagem, a amizade, as aventuras e o espírito de corpo dos cadetes. Fui visitar a academia e decidi fazer o documentário. A proposta foi aceita de imediato pela AMAN, que liberou o acesso às filmagens, sem restrições.

O filme foi feito sem patrocínio, sem nenhum tipo de isenção, mas com muita garra! Nossa pequena equipe saía do Rio às 3 da manhã, para iniciar a filmagem em Resende, às 6h, indo muitas vezes até a meia-noite. Fizemos de tudo: escalamos montanhas, cruzamos pastos, entramos em blindados, aviões de carga, helicópteros, no meio dos cavalos e atravessamos a parte mais perigosa da Amazônia. Passamos frio, calor, fome, sono, nossa comida era igual à dos cadetes, e à noite, em vez de dormir, era hora de passar o material para o computador, recarregar as baterias, limpar as lentes — para acordar e fazer tudo novamente. Dormimos em todos os tipos de lugares: no hotel de trânsito do Exército, no alojamento dos oficiais, no parque da infantaria, no acampamento da cavalaria, em redes penduradas nas árvores da selva amazônica… e também passamos algumas noites sem dormir — filmando sem parar. Sempre sem reclamar, sempre empolgados, porque, a cada plano, a cada áudio que gravávamos, a cada passo montanha acima, estávamos mais perto do nosso objetivo, da nossa visão.

“Irmãos por Escolha” poderia ter sido feito em qualquer outro universo acadêmico ou esportivo, pois seu tema fundamental é o ganho da maturidade através de superação de obstáculos. Porém, devido à natureza do campo bélico, os obstáculos físicos, psicológicos e emocionais são mais extremados, tornando o drama mais intenso e a superação, ainda maior. O filme aborda questões essenciais como: inteligência emocional, cooperatividade, trabalho em grupo. Sua mensagem, extremamente importante no mundo tão individualista no qual vivemos hoje, é uma só: ninguém faz nada sozinho! Acredito que o cinema e a arte têm o poder de cura, acredito que o artista muitas vezes usa a arte como mecanismo de transformação interna e possivelmente externa. A morte do meu irmão deixou um lugar vazio dentro de mim, que hoje está preenchido. E, com certeza, muitos corações serão tocados com as imagens e a narrativa do filme.

Assista o trailer do documentário – clique no link abaixo.

Hoje, a expressão “irmãos por escolha” já se tornou um jargão militar proferido até por generais. Todos temos irmãos por escolha. O filme foi apresentado em vários festivais fora do Brasil, como Santa Fé e Rhode Island, recebendo um reconhecimento muito especial pra mim. Mas, sem dúvida, a grande vitória é poder estrear agora, nesse domingo, na Netflix, a mais importante plataforma do mundo. Eu, aquele menino que assistia empolgado aos filmes de Spielberg, contrariando todas as probabilidades, estou no cinema!

Gabriel Mattar - Cineastas brasileiro
Gabriel Mattar – Cineastas brasileiro

Gabriel Mattar é artista visual e diretor de cinema, fundador da Kombat Films. O documentário “Irmãos Por Escolha”, primeiro longa dirigido por ele, chega ao catálogo da Netflix neste domingo (11/06).

Relacionados

Deixe uma resposta

- Publicidade -spot_img

Recentes